logo

Artacho Jurado: E tudo começou na Água Branca

Voltar
por Bel Herbetta

Segundo uma enquete recente entre os seguidores da Refúgios Urbanos no Instagram, Artacho Jurado é autor de 3 dentre os 5 prédios que os paulistanos mais gostariam de morar. Um feito e tanto! Muitos conhecem e admiram o encanto de suas obras, mas poucos conhecem o início dessa história de sucesso.

Pra quem ficou curioso, os edifícios vencedores de Jurado foram: Viadutos, Bretagne e Cinderela. Perdendo apenas para o Copan de Niemeyer e o Louveira de Artigas. Além destes 3 vencedores, Artacho Jurado tem pelo menos mais 10 obras significativas para a cidade.

Mas quem foi Artacho Jurado?

Joao Artacho Jurado

Acervo Diva Jurado

Figura de respeito entre os adoradores de prédios de São Paulo, Artacho Jurado foi um construtor que atuou na cidade especialmente na década de 50. Não tinha formação em arquitetura ou engenharia, e foi muito polêmico em sua época por possuir um estilo próprio que, em muitos aspectos, contrariava aquele defendido pelos profissionais da época.

Compreender o motivo do sucesso de suas obras, sucesso que perdura até hoje, não é tarefa simples. Até porque “simples” é uma palavra inexistente no vocabulário artachiano!

Tachado de excessivo no uso de elementos decorativos com o intuito de causar impacto e conseguir vendas imediatas, Jurado não descuidou, porém, de itens como espaço, luxo e conforto ao considerar o processo de verticalização da cidade. Atento ao déficit de moradias ocasionado pela expansão do município e à oferta de terrenos baratos em bairros de tradição nobre, Artacho projetou condomínios residenciais que correspondiam aos desejos de ascensão social da classe média emergente, o que garantiu o sucesso de seus empreendimentos.

Nota do Editor, no livro “Artacho Jurado – Arquitetura Proibida” de Ruy Eduardo Debs Franco – Ed. Senac

Artacho antes de Artacho

Artacho Jurado Exposicao

Acervo Fundação Arquivo e
Memória de Santos (FAMS).

Talvez por um já apurado senso estético, um provável-não-comprovado curso técnico em perspectiva, somados a um tino natural para publicidade e marketing, João Artacho Jurado começou trabalhando em feiras como letrista. Fazia placas, faixas, letreiros… E daí para começar a projetar pequenos estandes, foi um pulo!

Chegou a abrir uma empresa para fabricar e vender luminosos com gás neon, tecnologia muito utilizada para publicidade na época. Seus luminosos eram empregados principalmente em exposições e feiras de São Paulo, que aconteciam no Parque Antártica (sim aquele que deu origem ao atual Allianz Parque), localizado no bairro da Água Branca – criado no final do século XIX como um espaço de lazer para os funcionários da Companhia Antarctica Paulista, com áreas verdes e de práticas esportivas, parque infantil, restaurantes, etc.

Não há duvidas que Jurado conquistava ótima reputação por onde passava.  Assim, passou a se tornar conhecido no mercado de projeto, organização e construção de feiras – que duravam meses naquela época – e logo começou a ser convidado para organização e montagem de grandes e importantes exposições, inicialmente em Santos e depois em São Paulo. Estes projetos eram quase “mini-cidades”, com alamedas, parques, pavilhões, e até concha acústica para shows, cinema e restaurantes.

Entrada para o mundo da Construção Civil

Até que em 1946, João Artacho Jurado, que tinha o irmão Aurélio como sócio, decidem abandonar o mundo das feiras e exposições e partir para o mundo da construção civil – talvez motivados pelo crescimento da cidade, e seu déficit habitacional. Nessa época, ambos moravam no bairro da Água Branca: João na Rua Dona Ana Pimental – que faz limite com o Parque da Água Branca – e Aurélio na Avenida Antártica (marcados com estrelas na imagem abaixo).

Primeiras Obras Artacho Jurado

E é neste entorno (Vila Romana, Pompéia e Perdizes) que irão adquirir os primeiros terrenos e construir suas primeiras obras: sobrados, casas geminadas e predinhos! Carinhosamente apelidados por nossa equipe de corretores da região, de “Artachinhos”.

Assim, passo a palavra às minhas colegas, Mel Graille e Claudia Carvalho, que vão contar um pouco mais sobre os nossos Artachados da região. 😉 Aguardem as próximas Sacadas!

P.S. 1: Ouça o Podcast “Loucos por Artacho Jurado com Ruy Debs” – autor do livro “Artacho Jurado – Arquitetura Proibida” e maior conhecedor sobre o assunto!

P.S. 2: Assista o documentário e diversos vídeos com convidados no canal do YouTube Arquitetura Proibida.

compartilhe

sobre o autor

Bel HerbettaCorretora Associada

Nascida e criada em Perdizes, foi com o tempo que passou a valorizar e (re)descobrir as qualidades e pontos fortes do bairro. Durante as aulas de Urbanismo, quando cursava Arquitetura no Mackenzie (l...

Leia mais

Tel/Whatsapp:
+55 11 99192-9719
bel@refugiosurbanos.com.br

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?