A Vida Muda a Casa Muda a Vida

Voltar
por Bel Herbetta

Estou de mudança.

Sempre achei o máximo pessoas que se mudam sempre. Suas vidas parecem estar sempre em movimento, cheias de emoções, desafios e descobertas. Tudo que uma ariana quer da vida!

Até os 26 anos de idade eu havia mudado apenas 1 vez, por volta dos 5 anos de idade, pro quarteirão de cima. Mesmo bairro, Perdizes, mesmo lado da Avenida Sumaré, mesmo supermercado e mesma padaria.

Hoje, aos 37, estou contabilizando minha 5ª mudança nos últimos 3 anos. Ou a 6ª nos últimos 5 anos. Como vim parar aqui?

Do começo

Aos 26 parti para Sydney na Austrália, com previsão de passar 1 ano por lá, eu e meu namorado. Eu, que desde sempre sonhava em morar em outros países (que aventura!), tinha grandes esperanças de ficar por lá mesmo. Por isso ao partir me desfiz de grande parte do que tinha, deixei 2 malas na casa da minha mãe (que até então era minha casa também), e levei comigo outras 2.

Viver em terras longínquas e estrangeiras inicialmente não foi tão fácil como eu imaginava (jura?). Mas depois de uns 6 meses já estava adaptada e curtindo bastante, apesar da sensação constante de estar longe de “tudo e todos”.

Talvez por isso não chegamos a fincar raízes por lá e, 1 ano depois, estávamos de volta – eu, meu namorado e minhas 2 malas. Tendo que me desfazer de um bando de coisas antes de retornar.

De volta

Muito a contragosto voltei pra casa da minha mãe. Tinha que me reestabelecer primeiro pra pensar em morar sozinha. Por reestabelecer entendam: arrumar um trabalho e conseguir pagar as contas. Fácil?

Daqui pra frente tudo pareceu um filme assistido em modo acelerado, com anos passando…

Avance 3 anos: Eu e meu namorado tínhamos, somados, um salário suficiente para conseguir um financiamento e alguns trocados guardados. Com um belo empurrão do sogrão, compramos um apê!

Avance 2 anos: Conseguimos montar o apê – fazer armários, comprar móveis e eletros. Lá vou eu e minhas 2 malas, me mudar finalmente (mudança 1, 2015).

Avance 3 anos: Meu relacionamento de 12 anos acabou. Eu e minhas 2 malas voltamos para a casa da minha mãe (mudança 2, 2018).

Pausa

Foi preciso parar o filme acelerado.

Avance 1 mês: Preciso de silêncio e espaço pra passar por este momento de mudança de vida. Alugo um apê mobiliado, o único que visitei, e lá vou eu e minhas 2 malas (mudança 3, 2018).

Avance 1 ano: Neste processo minha crise de carreira chega ao ápice. Pedi demissão do escritório de arquitetura em que trabalhava, e tentava resolver o que fazer da vida entre um e outro projeto como freelancer.

Logo, sem mais condições de pagar aluguel, tenho que cancelar o contrato e me mudar.

Uma amiga que também estava num momento de mudança, me chama pra dividir um Studio com ela na Bela Vista.

Vou. Eu, minhas duas malas e agora tinha também 2 gatos (mudança 4, 2019).

Quando termino a mudança percebo: não vai dar. O Studio não comportava nós duas, nossos gatos (ela também tinha dois) e principalmente nossos espaços. O lugar também precisava de alguns reparos que no momento, nenhuma das duas podia arcar.

Volto uma vez mais pra casa da minha mãe. Eu e minhas 2 malas. E meus 2 gatos (mudança 5, 2019).

Recomeço

Avance 11 meses: Comecei a trabalhar como corretora e vendi o apartamento da minha mãe. Ela vai se mudar pra uma cidade do interior e eu aluguei um apê pra mim. Daqui uma semana me mudo pra lá, eu e minhas 2 malas, e meus 2 gatos (mudança 6, 2020).

Será que me tornei uma dessas pessoas que se mudam o tempo todo? Será uma fase ou um estilo de vida? Uma certeza eu tenho: não é tão glamouroso como eu imaginava.

Se eu estou cansada de mudar? Sim. Mas também senti que cada casa que passei cumpriu um papel fundamental no meu momento de vida. Afinal, o que está do lado de fora reflete o que está do lado de dentro, não é mesmo?

Se eu estou um pouquinho animada pra me mudar também? Sim.

Seguimos.

Foto capa: Rafael D’Andrea

compartilhe

sobre o autor

Bel HerbettaCorretora Associada

Nascida e criada em Perdizes, foi com o tempo que passou a valorizar e (re)descobrir as qualidades e pontos fortes do bairro. Durante as aulas de Urbanismo, quando cursava Arquitetura no Mackenzie (l...

Leia mais

Tel/Whatsapp:
+55 11 99192-9719
bel@refugiosurbanos.com.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

× Como posso te ajudar?