Sobre gentileza

Voltar
por Mari Sergio

A cidade que nunca pára, onde tempo é dinheiro, selva de pedra… Viver numa cidade como São Paulo pode ser avassalador de fato, mas também pode ser, surpreendentemente, delicado. Hoje eu quero falar sobre gentileza.

Eu explico o porquê:

Eu adoro fazer tudo a pé e tenho a sorte de morar em uma região que propicia isso: Moema é plana e amigável aos pedestres. Nas minhas andanças por aí, gosto de observar as pequenas delicadezas: Uma floricultura caprichosa, uma pessoa conversando com seu doguinho, enquanto passeia pelo bairro (eu no caso)…

Uma floricultura caprichosa na Rua Pintassilgo

Uma floricultura caprichosa na Rua Pintassilgo

 

Mas a imagem que me é mais querida é a de um casal de idosos que moram no meu prédio e que todos os dias saem pra passear.

A esposa acompanha o ritmo mais lento do marido com cuidado e paciência. Sem pressa alguma, eles vão lentamente dando a volta no quarteirão, para terminar o passeio com um descanso (pra lá de merecido) sentados no banco da calçada da Bráz Pizzaria. Lá eles ficam sentados por quase uma hora, conversando e observando quem passa.

 

Enquanto isso, do alto do nono andar, eu e meu marido suspiramos e prometemos que, daqui 40 anos, seremos nós a dividir esses momentos de tamanha ternura e gentileza. 🥰

 

compartilhe

sobre o autor

Marianna SergioCorretora associada

Paulistana, passou sua vida inteira no bairro de Moema e arredores, considerando o Parque do Ibirapuera uma extensão da sua casa. Depois de literalmente dar algumas voltas ao redor do globo, voltou a...

Leia mais

Tel/Whatsapp:
+55 11 99927-8177
mari@refugiosurbanos.com.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

× Como posso te ajudar?