Mercado Municipal de Pinheiros: o paraíso gastronômico renasce no coração do bairro

Voltar
Por Camila Raghi

Renascido a partir de um intenso movimento de requalificação o Mercado Municipal de Pinheiros é atualmente considerado um dos espaços mais pitorescos do bairro.

Sempre fui fã de feiras livres, principalmente quando me mudei para São Paulo e descobri os prazeres de cozinhar. Seus cheiros, cores, vitalidade são uma verdadeira inspiração para comilonas de plantão como eu. Nada como acordar no domingo quase na hora do almoço e ir tomar café da manhã na feira: o mais delicioso deles, pastel com caldo de cana, que certamente deveria estar na lista das sete maravilhas do mundo.

São essas coisas que chamo de tipicamente paulistanas…igual não há em nenhum outro canto do planeta.

Há mais ou menos cinco anos atrás descobri, em uma das minhas primeiras andanças pelo meu querido bairro, o Mercado Municipal de Pinheiros. Foi amor a primeira pisada. Naquela época ele era ainda apenas um mercado intitulado “irmão menor”do famoso “Mercadão” e bastante esquecido atrás do Largo da Batata. Poucos eram os que o conheciam e mais ainda que o frequentavam…

Sorte minha que o conheci ainda no anonimato, pois o vi ressurgir através de um intenso processo de renovação que hoje é capaz de o alçar a um dos mais bacanas pontos turísticos do bairro.

Construído inicialmente em 1910 ainda em outro terreno (aonde hoje passa a avenida Brigadeiro Faria Lima), por ampliações urbanísticas inerentes ao desenvolvimento da cidade, foi relocado e reconstruído, tal como é até os dias de hoje, em 1971, ano de sua reinauguração. O projeto de 4000m2, de autoria dos arquitetos Eurico Prado Lopes e Luiz Telles, por muito tempo ficou obstruído pela paisagem caótica do Largo da Batata, vindo a luz após as obras urbanísticas de revitalização dessa área que iniciaram-se há alguns anos.

Após quase seis décadas, sua interessante edificação passou por algumas reformas e melhorias, mas conserva preservada suas principais características arquitetônicas marcantes como a estrutura, as rampas de circulação vertical, o vão central e sua iluminação.

Em 2015 o prédio ganhou um charmoso deck de madeira no terraço do primeiro pavimento e o primeiro box que iniciaria o processo de revitalização do espaço: a Comedoria Gonzales, que serve os mais deliciosos e baratos ceviches do universo, preparados com os peixes mais frescos, trazidos ao lado, pela Peixaria Nossa Senhora de Fátima. Além do carro chefe, o chef colombiano Checho Gonzales também prepara outros tantos quitutes incríveis da sua terrinha, com muita inventividade e sabor. Foi ele quem deu o ponta pé inicial, e logo depois, outros chefs paulistanos em ascensão aderiram a idéia. Seguiram-se: Alex Atala, com quiosques do seu Instituto Ata no pavimento inferior; o nordestino Café Mocotó, do badalado chef Rodrigo Oliveira; e até um pedacinho da itália baixou aqui com a pizzaria genuinamente napolitana, Napoli Centrale. Até os restaurantes existentes se repaginaram para atender a um público cada vez maior e exigente, caso dos famosos pfs do Rainha, aonde atualmente se pode comer um incrível arroz de polvo as sextas-feiras com jamon serrano de entrada. Delicia, não?

O bacana é que se pode tanto comer lá como fazer uma boa feira e já passar no açougue, na peixaria, nos armazens de secos & molhados e até garantir aquele queijinho da serra da canastra de aperitivo. Pronto! Agora é só chamar os amigos, preparar a mesa, colocar uma boa trilha sonora e abrir um vinho! Que a noite de sexta tá só começando…

Portanto, seja lá qual for sua preferência gastronômica, coloque na sua listinha de passeios imperdíveis por SP.

O Mercado Municipal de Pinheiros fica aberto de segunda a sábado das 8h as 18h.

compartilhe

sobre o autor

Camila RaghiCorretora Associada

Arquiteta e urbanista formada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), trocou Curitiba por São Paulo há dez anos para se dedicar às suas maiores paixões: projeto e restauro. Após acumular ...

Leia mais

Tel/Whatsapp:
+55 11 98771-7220
camila@refugiosurbanos.com.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

× Como posso te ajudar?