logo

Amizade verde!

Voltar
Por Cláudia Carvalho
Peperômia

Sou do tipo que ama ter pessoas por perto, seja em reuniões de trabalho, aniversário infantil, sambinha, café da tarde, o importante é a sinergia na ocasião.

Essa é a maior das ironias e desafio no momento, o distanciamento social.

E agora, como fazer para preencher esse espaço físico que necessito pra ser feliz?

Iniciei utilizando as chamadas de vídeo, diminuindo um pouquinho a saudade, mas como Clarice Lispector descreveu: “sou uma filha da natureza: quero pegar, sentir, tocar, ser” –  Só assim sou feliz!

Então observando e cuidando das minhas plantas fiz uma “viagem“, encontrei nelas semelhanças de pessoas que adoro, e pensei: achei a solução para diminuir minha ansiedade e ter sempre a companhia de quem gosto, vou dar nomes a elas.

Vamos lá:

Minha peperômia melancia batizei com o nome de Ellen Janaína. Arrisco a dizer que são irmãs gêmeas, às duas tem em sua essência a vaidade e a alegria. Olho pra ela e ouço as gargalhadas da minha amiga.

Já a samambaia, por sua aparência estressada tem o nome da minha prima Andréa. Ela possui um enorme coração, mas o pavio super-curto(as vezes acho que ouço a samambaia gritar pedindo água quando esqueço da rega).

Samambaia asplenium - Andréa

Samambaia asplenium – Andréa

A jiboia prateada se chama Wanda, minha mãe! Mas porque ela está no grupo das amigas? Por ser minha mãe-amiga, e também por ter essa força em invadir todos os lugares do meu coração, assim como essa notável verdinha faz na minha sala, tomando conta dos espaços. Amo demais.

jiboia prateada - Wanda

jiboia prateada – Wanda

Trouxe minha primeira alocásia de Manaus, e teve que se adaptar a mudança de cidade e clima, mas isso foi fichinha pra ela. E não é que quando olho essa guerreira lembro logo das minhas parceiras de trabalho Mel e Bel. Essas duas possuem em sua essência a determinação e o prazer pela vida. Sejam bem-vindas a minha casa!

Não poderia faltar minhas amigas, Kátia, Cristine, Minéia e Dada. Chegaram ontem, junto com a mais nova habitante do refúgio verde, segundo vaso de alocásia, mas essa é paulistana. Com vários galhos exuberantes, encontro essas queridas na alegria de cada folha. Estou amando a visita!

Já a árvore-da-felicidade se chama Tina. Essas duas possuem o carisma, a serenidade e a vontade de fazer bem ao outro. Gratidão.

árvore da felicidade - Tina

árvore da felicidade – Tina

E foi só o começo dessa grande aventura, ainda tenho varias amigas verdes a serem batizadas!

Por hora, estamos curtindo a companhia umas das outras, preenchendo cada espaço no coração.

Acredito ter conseguido a combinação perfeita quando o assunto é recolhimento, usando a criatividade (como já contei aqui) e amizade como pano de fundo.

Andréa, Ellen, Wanda, Bel, Mel, Tina.

Andréa, Ellen, Wanda, Bel, Mel, Tina.

E você, já pensou em como deixar seus dias mais verdes/divertidos?

 

 

 

 

compartilhe

sobre o autor

Claudia CarvalhoCorretora Associada

Turismóloga de formação, saiu da selva amazônica e caiu de paraquedas na "selva de pedra", que muito a encanta com suas múltiplas possibilidades de vida. Moradora da Lapa, bairro que rem...

Leia mais

Tel/Whatsapp:
+55 11 94545-7575
claudia.carvalho@refugiosurbanos.com.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

× Como posso te ajudar?