ATELIÊ LUIS ANHAIA

QUERO MORAR AQUI!

Descrição

Um pequeno e escondido sobrado da Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, foi comprado para se transformar em ateliê e escritório de um casal, cada piso com acesso independente.

Como o terreno tinha um pouco mais de 150 m², a solução partiu da liberação das áreas e da incorporação do programa complementar e do mobiliário aos próprios paramentos.
Para ganhar espaço no térreo e no primeiro andar, todas as paredes internas foram retiradas e o piso, uniformizado com granilite. Com as plantas livres, se ganha espaço para grandes mesas de trabalho.

Para atender a necessidade do mobiliário de apoio, foi criada uma grande estante estrutural de concreto aparente, que toma conta da empena lateral e se eleva do térreo à cobertura. Como a casa é de alvenaria estrutural, esse elemento ajuda a sustentar a própria empena, a laje do primeiro piso e o madeiramento da cobertura – cada montante de concreto funciona como um pilar e todos apontam para uma cinta metálica.

A estante recebe módulos de compensado que funcionam como prateleiras ou gavetas, conforme a necessidade de uso e no primeiro andar, uma fórmica preta embuti os conduletes de elétrica. As aberturas e fechamentos da estante conversam com os dois lados da casa, integrando interno e externo.

A mesma estante também recebe a escada que garante o acesso independente aos ambientes. Os pisos da escada brincam com a alternância da estrutura de concreto: madeira vazada junto às caixas sólidas e metal fechado ligado aos módulos vazados, onde a lógica entre cheios e vazios continua.

No recuo lateral, configura-se a entrada principal com fechamento em porta pantográfica, revelando a mão do artista e proprietário Arthur Lescher, que havia trabalhado o conceito em suas exposições.

No pavimento superior, a laje foi retirada e as tesouras em madeira foram restauradas e permaneceram aparentes, ampliando o espaço.
A fachada ganha modernidade com as grandes aberturas enquadradas por caixas de concreto aparente, resultando em ventilação cruzada e iluminação natural.

Complementando o programa de necessidades, os banheiros e copas independentes são resolvidos com a construção de uma torre de concreto aos fundos do imóvel. Essa estrutura monolítica preta revela imperfeições e alguns rasgos envidraçados são referencia ao trabalho do chinês Wang Shu.

Apesar dos limites do terreno, a construção ainda conta com duas áreas externas, uma à frente preenchida com bloquetes, e outra aos fundos, com pedriscos, destinada a almoços e encontros informais.

Quase ao final do projeto, a casa foi destinada a uma editora, para qual o mobiliário da copa e as mesas dos salões também foram desenhas pelo escritório, para melhor atender as necessidades dos usuários e funcionalidade do espaço.

Fonte texto : http://www.zemelarquitetos.com.br/#/projeto/80

Local: São Paulo
Data do projeto: 2012
Data da conclusão da obra: 2013
Autores do Projeto:
Paula Zemel e Eduardo Chalabi
Colaborador: Cristiano Zan
Estagiário: Fernando Milan
Área: 148 m²

Construção: Nartex
Fotos: Maíra Acayaba

Clique no link abaixo para saber como adquirir o livro Casas de São Paulo.

Quero o livro

×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to hello@quadlayers.com

× Como posso te ajudar?